domingo, 17 de agosto de 2008

Setembro - Mês da Bicicleta em Curitiba


O mundo passa por profundas transformações. O inicio do século 21 promete ser crucial no desenvolvimento histórico do que esta por vir. A sobrevivência dos seres humanos num meio ambiente cada vez mais agredido mostra ser a grande questão que devemos responder.

Acima de tudo precisamos promover um ambiente de reflexões, criticas e analises profundas. O momento é de questionamento. Em nossos centros urbanos observamos que a primazia de políticas urbanas que favorecem os automóveis deixou conseqüências, talvez irreversíveis, na maneira em que nos relacionamos com as cidades, uns com os outros e com a natureza em geral. Nossas cidades são hostis ao pensamento, à contemplação e à saúde mental e física das pessoas. O nível crescente de insanidade no trânsito também comprova esta analise.

A ARTE, BICICLETA, MOBILIDADE é uma sequência de ações promovidas por artistas, filósofos e professores que ira tomar conta da cidade durante um mês inteiro. Em setembro temos o inicio da primavera e uma data simbólica na luta por um paradigma urbano mais racional, criativo e menos poluente – o DIA MUNDIAL SEM CARRO, 22 de setembro. Desta forma, muitos debates, exposições, apresentações e intervenções artísticas estarão acontecendo em Curitiba, como uma forma de chamar a atenção das pessoas para esta importante questão.

No ano passado o evento foi realizado no Centro de Criatividade do Pq. São Lourenço, e constou de uma série de importantes debates e uma exposição que reuniu o trabalho de diversos artistas locais. Neste ano a proposta é um pouco diferente. Os artistas, pesquisadores e ativistas foram convidados a criarem situações que tenham como foco o questionamento sobre a mobilidade e a inserção da bicicleta no imaginário dos cidadãos. Assim, ao invés de uma exposição acontecendo em apenas um lugar, teremos a cidade ocupada por diversas ações, que farão parte de uma programação oficial, e que, idealmente, atingirão mais pessoas e com maior abrangência.

Veja a programação abaixo e se envolva. Seja criativo e crie mais ações.

01. Palestra com Claudio Olivier sobre Ivan Illich e a bicicleta – A Revolução se faz em Duas Rodas – na reitoria da UFPR – anfiteatro 101 / 19hs

02. Oficina de Modelagem com Fernando Rosenbaum. Participe da criação de uma escultura coletiva de uma roda. Toda terça às 9hs no Centro de Criatividade do São Lourenço

04. Música Para Sair do Carro: diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs - Quintetinho e amigos

06. Oficina de Agroecologia Urbana – Govardhana. Rua Augusto Stresser, 207 – 10hs -GEAE

08. Debate sobre a malha cicloviaria de Curitiba com participantes da Bicicletada - na reitoria da UFPR – anfiteatro 101 / 19hs

Projeção do vídeo: O Cavaleiro Destemido – Franceis e Lucas . Esquina das ruas Treze de Maio com Presidente Faria – 18hs

11. Música Para Sair do Carro – diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs - Caê Selector e Projeto Tábua

Reedição da obra BICI com Goto, colaboradores e Bicicletada de Curitiba - Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs

14. Ação-Caminhada dos Jardins Transportáveis com a artista Leila Pugnaloni. Saída: Govardhana, Rua Augusto Stresser, 207 – 10hs - +Info. 3264-­5644

15. Palestra com o Núcleo de Psicologia do Trânsito da UFPR. Local: Reitoria da UFPR – anfiteatro 101 /19hs

Lançamento do Fanzine Gang das Ruas coordenado pelos artistas Rimon Guimarães e C. L. Salvaro

16. Abertura da Exposição Fotográfica “Menos Gasolina, Mais Adrenalina” no Café Zau do Juvevê 19hs

17. Cicloturismo Urbano até o Cachimba – junte seu lixo e venha levá-lo pessoalmente ao aterro sanitário. 9hs na Ciclofaixa da Augusto Stresser (na altura do numero 200)

Retratos, Intervenções urbanas. Os artistas Bruno Machado, Rimon Guimarães e Nicole Lima reeditam sua exposição “3”, dessa vez nas ruas. Ciclistas de estilo e suas respectivas bicicletas terão seus retratos afixados em “molduras” pela cidade.

18. Música Para Sair do Carro – diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs - Performance TAMO

20. Roda Gigante com Raphael Fernandes – Praça Santos Andrade, 10hs da manhã . Venha de bicicleta celebrar a liberdade, ajudando a formar um espaço autônomo, transformando pedaladas em dança. Uma grande roda de bicicletas servira como palco para uma apresentação de dança. Venha de bicicleta formar a roda da festa, a roda da dança, a roda da liberdade.

Dia da Bicicleta na UFPR – Praça Santos Andrade, 10hs. Passeio ciclístico intercampi - chegada no Centro Politécnico com shows, gincanas, bate-papo, venda de bicicletas e muita alegria. Ciclovida UFPR.

21. 1ª Pedalada do Yoga e da Não Violência. 8hs no Govardhana (Rua Augusto Stresser, 207) Venha celebrar a primavera e ahimsa, a não-violência defendida por Mahatma Gandhi.

22. DIA MUNDIAL SEM CARROEQUINOCIO DA PRIMAVERA

MARCHA DAS 1000 BIKES - Pedalada pacifica e não violenta pelas ruas do centro de Curitiba. Saída às 18hs do pátio da reitoria da UFPR

Vaga Viva na Rua XV de Novembro, 10hs (altura da Praça Santos Andrade)

Lixeira Viva, Intervenção no mobiliário urbano por Eduardo Feniman (Rua XV de Novembro e Mal. Deodoro – (depois do meio-dia)

Reorganizações Urbanas, Intervenções com o lixo e entulho da região central por gustavoprafrente e Beba Tistelli (na parte da tarde)

Conversa com os candidatos à prefeitura de Curitiba sobre a inserção da bicicleta na cidade. Auditório da Progepe – 14hs

23. Curso de Desenho para Ciclistas com Leila Pugnaloni. + Info. 3264-5644

24. Música Para Sair do Carro – diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs - Mistura Brava e Anomalia Antipoluição

“Venha PINTAR meu carro” - André Mendes oferece seu carro como suporte para quem quiser exercer sua criatividade. Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs

27. GRANDIOSA BICICLETADA de Setembro – celebração da rua, na rua, para o bem-estar da rua! Viva a rua! 10hs no pátio da reitoria da UFPR

28. Andante e Jardinagem Libertaria – uma caminhada livre por Curitiba para plantar arvores e desenvolver a psicogeografia. Saída da Reitoria da UFPR – 9hs

29. Palestra com Antonio Miranda do Ministério das Cidades sobre como anda a questão da bicicleta no Brasil. Local: Reitoria da UFPR – anfiteatro 101 / 19hs

http://artebicicletamobilidade.wordpress.com/


6 comentários:

Chihuahua disse...

E ai Gabba, meu nome é Rafael, sou de curitiba e "conheci" as fixas através do seu blog. Como participo da bicicletada acabei andando em uma fixa a uns tempos atrás e me apaixonei. Vendi minha speed semana passada e agora estou procurando peças e componentes para montar minha fixa. Em breve serei mais um pedalando uma fixa pelas ruas de curitiba.

Joaos (joaosac@yahoo.com.br) disse...

Gabba, parabens pelo teu ótimo blog, fonte pioneira de informações em português sobre roda-fixa, e que foi muito útil para mim.

Aproveitei algumas informações do teu blog para o subcapítulo sobre roda-fixa no artigo sobre bicicletas sem marcha no Wikipedia ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Bicicleta_de_marcha_única ).

Se quiser ver, as fotos da minha fixa estão aqui:
http://www.flickr.com/photos/26565466@N03/sets/72157606876247185/

Abs

Joaos

Gabriel Nogueira disse...

Legal João.
As informações deste blog DEVEM ser utilizadas e espero que ajudem as pessoas, não só, a pedalarem mais fixas, mas sim PEDALAREM MAIS!!!
Esquiar sem neve e inverno em Curitiba sem frio, não é muito legal.
Mais adrenalina - Menos gasolina!
Aquele abraço,
Ps: Talvez fosse interessante, no artigo da Wikipedia, ressaltar o fato de que a nomenclatura correta ao se referir as "fixas" é "Pinhão fixo(Pt/Br)" ou "Carrete-preso (Pt/Pt)" e não "Roda-fixa". Essa nomenclatura "Roda-fixa" saiu do fundo da minha mente doentia, no intuito de diferenciar o uso de bicicletas com pinhão fixo na pista(velódromo) e da galera que pedala fixa na rua (ao contrário de quem pedala com "roda livre")...

Gabriel Nogueira disse...

Hey Rafael! Quando a fixa estiver pronta, não esquece de mandar um relato e fotos pro blogue...Abraço e pedale com segurança!

Joaos (joaosac@yahoo.com.br) disse...

Gabba, pra você ver como este blog é pioneiro: eu nem sabia que a palavra roda-fixa foi tua criação. Acabei de fazer as correções sugeridas.

swissblue disse...

De vitima a quase autor do acidente. http://jornale.com.br/zebeto/2009/09/04/ao-ciclista-desconhecido/#comment-86598